Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Translate

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Seguidores

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Centro espírita atacado por fanáticos entrará com ação na Justiça por danos

Centro espírita atacado por fanáticos entrará com ação na Justiça por danos

Entidade calcula prejuízo de R$ 20 mil com destruição de 50 imagens

Ronaldo Braga – O Globo, Rio, página 15, em 04/06/2008.

Não é a primeira vez que fanáticos religiosos atacam freqüentadores do Centro Espírita Cruz de Oxalá, na Rua Bento Lisboa 146, no Catete, invadido e depredado, anteontem à noite, por quatro membros da igreja neopentecostal Geração Jesus Cristo. Segundo um dos diretores do centro Celso Quadros, em quase todos os dias de funcionamento da entidade, grupos de religiosos agridem e ofendem as pessoas que estão na rua aguardando para entrar.

Policiais da 9aDP (Catete) investigam denúncias que, na internet, há indícios de intolerância religiosa fomentado pela Igreja Geração Jesus Cristo. O pastor da igreja negou qualquer estímulo a atos de vandalismo.

Os responsáveis pelo centro vão entrar com ação na Justiça, por danos morais e materiais contra os invasores.

Eles calculam prejuízo de R$ 20 mil com a destruição de cerca de 50 imagens.

— Vamos entrar com ação indenizatória contra os quatro, mas caso seja provada a participação da igreja no ataque, entraremos com a ação contra a instituição — afirmou Cristina Moreira, outra dirigente do centro espírita.

Algumas imagens tinham 80 anos Segundo ela, as imagens destruídas faziam parte da história do centro: — Só a imagem de Oxalá custava R$ 1 mil. Mas o dinheiro não é o maior problema. As imagens tinham história e valor afetivo, pois nosso centro tem 80 anos e muitas estavam conosco desde a fundação. Os agressores gritavam que o centro era coisa do demônio. Foi um atentado à nossa fé.

Os invasores foram identificados como Afonso Henrique Lobato, de 23 anos; Alessandro Cabral dos Santos, de 35; Reinaldo Nonato Pessoa, de 26; e Dominique Samara Pereira, de 27. O ataque durou 30 minutos. Eles foram autuados por dano e ultraje a culto religioso e liberados.

Porém, terão que comparecer à audiência no 1oJuizado Especial Criminal. Segundo o Código Penal, a detenção, de um mês a um ano, ou multa, pode ser aumentada em até um terço se houver emprego de violência.

A Ordem dos Advogados do Brasil distribuiu nota repudiando atos de preconceito, religioso ou social.

— A agressão preocupa porque evidencia a intolerância de alguns segmentos religiosos, que não respeitam a diferença de crença dos demais — afirmou o presidente da OAB/Rio, Wadih Damous.

Diretores do centro receberam apoio de religiosos, incluindo o pastor Tubirani, responsável pela Igreja Geração Jesus Cristo, que condenou o ataque: — Eles não podiam ter feito o que fizeram. Nunca incentivamos esse tipo de atitude.

O delegado Fábio Pereira, da 9oDP, disse que os agressores não pareciam arrependidos. Segundo ele, a invasão não tinha o objetivo de causar prejuízo às vítimas, mas impedir a realização da prática religiosa.


INTOLERÂNCIA

O BRASIL tem um Estado laico, é assumidamente miscigenado e se orgulha de garantir a liberdade religiosa a todos os cidadãos.

É INACEITÁVEL, portanto, que a intolerância religiosa tenha levado jovens de uma igreja neopentecostal a depredar um centro espírita no Rio.

O FANATISMO dos agressores pode até ser debitado na conta do seu credo; já o vandalismo, por não constar de qualquer bula religiosa, deve ser tratado estritamente pelo viés criminal.


Veja mais:

Nenhum comentário: