Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Translate

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Seguidores

sexta-feira, 7 de março de 2008

O Islã e a Política

Título: O Islã e a Política (Editora Paulinas).

Autor: Peter Antes - Doutor em Filosofia e em Teologia, Peter Antes é professor universitário de Ciência da Religião nas áreas disciplinares de História, Filosofia e Ciências Sociais da Universidade de Hannover e tem como área de especialização, ao lado de questões metodológicas da Ciência da Religião, principalmente problemas atuais da ética islâmica, bem como religiões e comunidades religiosas na Europa de hoje, em especial nos países românicos. De 1988 a 1993, foi o 1º Presidente da Deutschen Gesellschaft für Relligionsgeschichte (Associação Alemã de História das Religiões) e de 1993 a 1997 foi vice-presidente dessa associação.

Desde 1995 é vice-presidente da "International Association for the History of Religions". O governo francês homenageou seus méritos sobre a cultura e língua francesas por meio da nomeação para chevalier da "Ordre des Palmes Académiques". É autor de numerosas obras publicadas em várias línguas.

Sinopse: No atual contexto internacional a tradição islâmica é peça chave para se compreender as grandes tensões que agitam o planeta. Peter Antes, um dos seus melhores conhecedores ocidentais, cuja reputação é confirmada por sua atual presidência da Associação Internacional para a História das Religiões, nos oferece uma obra sintética, em que são articulados os principais elementos para a compreensão da atualidade político-religiosa do Islã.

Depois de sublinhar a originalidade da tradição islâmica, que não se reduz simplesmente a uma forma qualquer de fundamentalismo religioso, como se tende a pensar no Ocidente, esclarece como a atual auto-imagem islâmica se deve, em grande parte, a imposição dos esquemas colonialistas, que obrigou os diferentes povos do Oriente a procurar uma unidade na sua comum tradição religiosa.

A partir então do Islã no tempo de Mohamed, de suas exigências éticas, da constituição de seus cinco pilares e da teologia da Onipotência Misericordiosa de Deus, mostra a evolução história da doutrina e espiritualidade nas suas diferentes correntes até que se veio a constituir, na atualidade, um fundo comum do direito e da ética islâmica, na base da originalidade do perfil que hoje apresenta.Assim, a adesão à charia, a adoção do Alcorão como princípio absoluto e o retorno à mensagem de Meca, longe de constituirem uma unidade política, deixam espaço para as mais diferentes organizações dos diversos estados que, entretanto, podem ser facilmente levados a se unirem politicamente, na medida em que terão que apelar para a tradição religiosa como caminho de sobrevivência.

Nenhum comentário: