Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Carregando...

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Translate

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Seguidores

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Arqueologia: Descoberto na Galiléia templo romano do século II d.C.

Jornal Expresso - Jerusalém, 11 Agosto de 2008 (Lusa) - Arqueólogos descobriram em Zipori, na Baixa Galileia, um templo romano do século II d.C. que prova o carácter multicultural desta cidade.

Os restos do templo encontram-se sob as ruínas de uma igreja bizantina e, segundo os investigadores, demonstram que as comunidades judia, pagã e cristã conviviam em Zipori.

"É o único templo que encontrámos até agora em Zipori e foi uma surpresa porque, sendo esta uma cidade judia situada numa região judia, esperávamos encontrar sinagogas, mas ainda não encontrámos nenhuma dentro da cidade e sim este templo romano", explicou Zeev Weis, director da escavação e professor do Instituto de Arqueologia da Universidade Hebraica.

Até agora, os arqueólogos tinham encontrado em Zipori alguns edifícios e casas romanas, mas a grande maioria pertencia à população judia, em maior número na cidade.

Este achado é surpreendente, segundo Weis, porque demonstra que a comunidade romana nesta cidade era muito forte.

"O templo e o seu pátio ocupam uma área muito grande no centro da cidade, é um espaço dominante", descreveu o investigador, que admitiu que a comunidade romana de Zipori pudesse ser maior do que se pensava até agora.

"Esperamos ter no futuro mais informação sobre o culto, encontrar alguma estátua ou algum vestígio que nos permitam averiguar que deuses veneravam aqui", acrescentou.

O templo recém-descoberto ocupava uma superfície de aproximadamente 24 metros por 12, tinha uma fachada decorada do lado da rua e encontrava-se ao sul do "decumanus", a rua com colunatas e principal via da cidade.

Nesta mesma expedição foram desenterradas, em anteriores escavações, moedas romanas da época de António Pio que mostram um templo aos deuses Júpiter e Fortuna (Zeus e Tiche na mitologia grega).

A cidade de Zipori situa-se num monte na Baixa Galileia, a metade do caminho entre o Mediterrâneo e o Mar da Galileia.

Fundada na era helenista, foi nomeada capital administrativa da Galileia pelo governador Gabínio, em meados do século I d.C., e, posteriormente, converteu-se no centro da vida religiosa judaica de Israel.

A cidade, um centro de estudo da Bíblia, foi destruída no ano 363 por um terramoto, mas, reconstruída pouco tempo depois, manteve-se durante séculos como centro social e espiritual da Galileia.

No período bizantino, a comunidade cristã de Zipori aumentou consideravelmente e no século VII d.C. a importância da cidade decaiu depois de ter sido conquistada pelos árabes.

Veja ainda:

Arqueólogos acham templo pagão romano sob igreja bizantina em Israel

Achado ocorreu em Zippori, capital judia da Galiléia durante o período romano. Local abrigava rituais de adoração a Zeus.

Da France Presse – Publicado no Portal G1, em 11/08/2008.

As ruínas de um templo pagão da época romana foram descobertas recentemente na Galiléia, indicou nesta segunda-feira (11) a universidade hebraica de Jerusalém, que supervisionou as buscas.

O templo foi descoberto no terreno de uma igreja bizantina muito importante cujos vestígios foram relembrados numa campanha anterior às escavações, no parque nacional de Zippori (norte), destacou a universidade em um comunicado.

"Esta descoberta mostra que em Zippori, capital judia da Galiléia durante o período romano, vivia uma população muito importante de pagãos", acrescentou o texto.

O templo em questão tem forma retangular, de 12m por 24m. A natureza dos rituais praticados neste lugar continua sendo uma incógnita, mas as peças encontradas na área evocam um lugar de culto dedicado a Zeus e a Tiche, divindade da prosperidade.

Esta campanha de escavações foi realizada sob a responsabilidade do professor Zeev Weiss, do Instituo da arqueologia da universidade hebraica.

Nenhum comentário: