Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Translate

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Seguidores

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Declaração de Princípios (Fraternidade Cristão-Judaica)

Diálogo inter-religioso
Educação, Convivência e Paz


Os homens constituem todos uma só comunidade; todos têm a mesma origem, pois foi Deus quem fez habitar em toda a terra o inteiro gênero humano; têm também todos um só fim último, Deus, que a todos estende a sua providência, seus testemunhos de bondade e seus desígnios de salvação, até que os eleitos se reúnam na cidade santa, iluminada pela glória de Deus e onde todos os povos caminharão na sua luz.

Enquanto esperamos, juntos, o dia do juízo, é necessário que trabalhemos para que o gênero humano se torne cada vez mais unido, e que aumentem as relações entre os vários povos, considerando primeiramente tudo aquilo que os homens têm de comum e os leva à convivência.

Nada deve ser rejeitado do que existe de verdadeiro e santo nas religiões e devemos olhar com sincero respeito esses modos de agir e viver, preceitos e doutrinas que, embora distintos entre si, em muitos pontos refletem um raio da verdade que ilumina todos os homens.

Carece de fundamento toda a teoria ou modo de proceder que introduza entre homem e homem, ou entre povo e povo, ou entre religiões qualquer discriminação quanto à dignidade humana e aos direitos que dela derivam.

O diálogo e colaboração com outras religiões é o testemunho da vida e fé para reconhecer, conservar e promover os bens espirituais e morais e os valores culturais da sociedade.

E se é verdade que, no decurso dos séculos, surgiram entre todas as religiões não poucas discórdias e ódios, a Fraternidade Cristão-Judaica cumpre seu pequeno papel de exortar todos a que, esquecendo o passado, sinceramente se exercitem na compreensão mútua e juntos defendam e promovam a justiça social, os bens morais e a paz e a liberdade para todos os homens.

Faz parte das nossas mais profundas convicções, a de que a Paz mundial só será obtida se houver convivência entre todas as religiões, e isto só será possível se houver a educação para o diálogo em todas as células da sociedade: na família, entre os amigos, na vizinhança, na comunidade, no trabalho, na região, no Estado.

Fomentamos, seguindo orientação da Nostra Aetate, aos cristãos e aos judeus a preservação do grande patrimônio espiritual comum e o mútuo conhecimento e estima, os quais se alcançarão, sobretudo por meio dos diálogos fraternos.

Reprovamos quaisquer perseguições contra quaisquer homens, levadas por razões política ou religiosa e deploramos todos os ódios, perseguições e manifestações de anti-semitismo, seja qual for o tempo em que isso sucedeu e seja quem for a pessoa que isso promoveu.

Reprovamos como contrária aos nossos princípios, toda e qualquer discriminação ou violência praticada por motivos de raça ou cor, condição ou religião.

Recomendamos que entre o “eu e o outro” sejam respeitadas as diferenças e evidenciadas as semelhanças para que sejam fortalecidas as identidades religiosas de cada um.

Recomendamos que, no espaço de convivência do Diálogo, todos possam valorizar a sua religião através da explicação aos outros das suas liturgias e tradições, sem, no entanto haver qualquer manifestação de superioridade, anterioridade, desempenho, ou argumentos e expressões que possam transparecer proselitismo ou catequese.

Recomendamos ardentemente a todos que observem a melhor conduta de convivência, que se construa a paz no meio dos homens quanto deles depende, de modo que sejam na verdade filhos do Pai que está nos céus.

De tal maneira, está ligada a relação do homem a Deus Pai e a sua relação aos outros homens seus irmãos, que a Escritura afirma: «quem não ama, não conhece a Deus» (Jo. 4,8) e, portanto, não podemos invocar Deus como Pai comum de todos, se nos recusarmos a tratar como irmãos alguns homens, criados à Sua imagem.


Fraternidade Cristã – Judaica
Rua Cosme Velho 120 Laranjeiras
Rio de Janeiro, RJ – CEP: 22241-090
tel/fax: (21) 225-0708


Nenhum comentário: