Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Translate

Perfil

Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Cláudia Andréa Prata Ferreira é Professora Doutora - Categoria: Associado III - do Setor de Língua e Literatura Hebraicas do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da UFRJ.

Seguidores

sábado, 12 de janeiro de 2008

Constituintes da Ciência da Religião

Constituintes da Ciência da Religião

Autor: Frank Usarski
Editora: Paulinas

A obra reúne uma série de ensaios do professor Usarski, cujo fio condutor assenta-se na afirmação da autonomia de uma Ciência da Religião que, justamente em virtude de tal prerrogativa, pode apresentar-se em todo o seu potencial de crítica às ideologias imperantes na sociedade e nas corporações religiosas.

São cinco ensaios publicados entre 2001 e 2005, dois como capítulos em antologias e os demais como artigos em periódicos. Cada texto representa um raciocínio coeso sobre determinado aspecto da complexa problemática da constituição e do status institucional da Ciência da Religião.

O primeiro ensaio, O caminho da institucionalização da Ciência da Religião - Reflexões sobre a fase formativa da disciplina, recupera algumas das etapas do processo de diferenciação no decorrer do qual o estudo das religiões adquiriu hoje perfil "sistêmico".

No capítulo subseqüente, Os enganos sobre o sagrado - Uma síntese da crítica ao ramo "clássico" da fenomenologia da religião e seus conceitos-chave, procura-se demonstrar que a fixação de um "horizonte exterior" é uma necessidade, na definição de um sistema que mereça o nome de ciência.

Já o terceiro texto, O perfil paradigmático da Ciência da Religião na Alemanha, faz referência ao conceito de paradigma de Kuhn e mostra que a Ciência da Religião se justifica como matéria universitária autônoma pela existência de um paradigma seguido pelos pesquisadores da área, o qual é comandado por um conjunto de axiomas consensuais e de métodos coletivamente aceitos como "válidos".

Para encerrar são abordadas duas dinâmicas simultaneamente geradas pela diferenciação entre a Ciência da Religião e seu ambiente exterior: como a Ciência da Religião deve tratar os "impulsos" que recebe de "fora" e quais as contribuições que traz para seu ambiente? Em Descendo a torre de marfim - O impacto do discurso público sobre "seitas" na Ciência da Religião na Alemanha fala-se dos processos de input e, em O potencial da Ciência da Religião de criticar ideologias - Um esboço sistemático, das conseqüências do output.

Nenhum comentário: